A Nutricionista

Carolina Baccei

Bacharel em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo; Especialista em Nutrição Clínica Funcional pela VP consultoria; Formação em Auriculoterapia pela Humaniversidade e Prestadora de Serviços para Rede Record no programa A Fazenda (1ª/2ªe 3ªtemporada)

[ +mais ]

11 ago 2011

Doenças na Tireóide

As desordens tireoideanas já atingem mais de 200 milhões de pessoas no mundo todo, e podem ou não vir associadas a outras doenças (vitiligo, síndrome de Down, diabetes tipo 1, depressão, doenças celíaca e câncer de mama). O tratamento na maioria das vezes é baseado em reposição hormonal, mas a alimentação natural também tem papel importante na melhora e na prevenção do problema.
O distúrbio na tireóide mais comum é o hipotireoidismo. Caracterizado pela diminuição na produção/ação dos hormônios T3 e/ou T4, ele pode ser causado por: predisposição genética, tireoidite de Hashimoto (doença auto-imune), desordens no hipotálamo (glândula responsável pela produção de hormônio tireoestimulante – TSH), ou também pode aparecer como consequência do tratamento do hipertireoidismo (doença caracterizada pela aceleração das funções da tireóide). No hipotireoidismo há uma diminuição da taxa metabólica, ao contrário do que acontece no hipertireoidismo. Além do tratamento médico, é importante lembrar que uma alimentação natural adequada pode tanto potencializar os efeitos do tratamento como ajudar a prevenir esses distúrbios.

Veja algumas dicas:
Alimentos ricos em Selênio – Possui ação antioxidante e facilitadora do processo de eliminação de metais pesados do organismo. Estudos mostram que o tratamento de casos de tireoidite de Hashimoto tem uma redução significativa dos processos inflamatórios na presença do selênio. O alimento mais rico em selênio é a Castanha do Brasil;
Zinco – Estudos mostram que a deficiência de zinco pode reduzir os níveis de T3 e T4.  Ele está presente na semente de abóbora, no gérmen de trigo, nos grãos integrais (arroz integral, feijão, lentilha, grãos de bico, aveia) e no levedo de cerveja;

Alimentos orgânicos – A alimentação convencional muitas vezes nos coloca em contato com excesso de agroquímicos e de metais pesados que aumentam muito o risco de aparecerem problemas na tireóide. Por isso, quanto mais orgânicos na alimentação, menor o risco desses distúrbios;
Plásticos – Além dos impactos ruins ao meio ambiente, o plástico é feito com componentes prejudiciais à saúde humana, como é o caso dos organoclorados (componentes dos PCBs -bifenis policlorados). Os organoclorados tendem a se acumular no organismo causando prejuízos como lesões na tireóide e redução na ação dos hormônios T3 e T4. Por isso, a recomendação é de evitar ao máximo o contato do plástico com alimentos, quer seja através de recipientes (preferir os de vidro ou cerâmica, por exemplo) ou mesmo de talheres (preferir os de inox).







2 já comentaram!

  1. Lorena disse:

    7 de maio de 16 às 3:01

    Boa noite Carol!

    Meu nome é Lorena, tenho 23 anos e tenho tiroidite de Hashimoto! Achei muito interessantes suas dicas para quem tem este tipo de doença e gostaria de obter mais informações! Você tem algum livro a respeito desse assunto ?!!
    Como deve ser a dieta de uma pessoa Q tem Hashimoto e quer emagrecer?

    Muito grata,

    Lorena

    Responder
    • Nutri Carol Baccei disse:

      6 de outubro de 16 às 9:36

      Bom dia Lorena!

      Desculpe a demora em responder

      Não conheço nenhum livro que fale especificamente sobre a tireoidite mas conitnue nos acompanhando que falaremos muito ainda sobre isso. A dieta tem que ser individualizada mas de forma geral tem que ser sem glúten e sem agrótoxicos

      beijos

      Responder

Deixe seu comentário

*
*

Seu email nunca será publicado ou compartilhado. Campos obrigatórios marcados com *

Últimos posts