A Nutricionista

Carolina Baccei

Bacharel em Nutrição pelo Centro Universitário São Camilo; Especialista em Nutrição Clínica Funcional pela VP consultoria; Formação em Auriculoterapia pela Humaniversidade e Prestadora de Serviços para Rede Record no programa A Fazenda (1ª/2ªe 3ªtemporada)

[ +mais ]

10 maio 2010

Dicas para quem sofre de Alergia Alimentar

As alergias alimentares podem ocorrer também devido ao consumo excessivo de um determinado alimento. Quem sofre com esse tipo de alergia deve fazer um programa de seleção alimentar, claro, com a orientação de um profissional nutricionista, evitando comer determinado alimento por 8 ou 10 dias. No período de restrição, deve-se observar  se os sintomas alérgenos ocorrem. Se nada acontecer, o alimento que sofreu restrição deve ser retirado da lista de risco e pode voltar a ser consumido. Escolhe-se, então, outro tipo de alimento e assim por diante.
Trata-se de investigar e observar as reações do organismo. Identificando o alimento alergênico a pessoa deve retirá-lo definitivamente do cardápio por um longo periodo de tempo, na tentativa de que o corpo se desintoxique. Muitas vezes dá certo e a pessoa poderá até voltar a consumir o alimento. Pessoas que consomem soja, por exemplo, podem desenvolver alergia à lecitina, um dos componentes dessa leguminosa. Um dos sintomas que se pode observar é a ardência anal e disenteria. Ao retirar a lecitina do cardápio (isso inclui não só a soja em grão e PVT mas também produtos industrializados com emulsificante lecitina de soja), as reações desapareceram.
Veja algumas dicas para prevenir as reações das alergias alimentares:
*Leia os rótulos dos alimentos para prevenir ingestão acidental.
*Quando há muitos alimentos a serem evitados na dieta, procure uma nutricionista especializado em alergias alimentares.
*Aprenda a identificar uma alimento através de seus diferentes nomes ( como por exemplo: leite, caseína, lactoalbumina).
* Quem apresenta risco de anafilaxia deve ser treinado a identificar os sintomas iniciais e a auto-injeção de adrenalina.
* Quem é alérgico deve se acostumar a usar uma identificação de que é uma pessoa alérgica e portar a lista de alimentos proibidos em cartão, bracelete ou colar, assim como os contatos familiares.
* Os familiares também devem receber essas informações para evitar exposição acidental.
* Os familiares devem receber treinamento para socorrer o parente alérgico em caso de emergência. 

Deixe seu comentário

*
*

Seu email nunca será publicado ou compartilhado. Campos obrigatórios marcados com *

Últimos posts